segunda-feira, 25 de março de 2013

PERDENDO A VIRGINDADE DO CU


PERDENDO A VIRGINDADE DO CU


Olá! Esse é o primeiro conto que publico, vou começar por um momento marcante da minha vida, quando dei o cu pela primeira vez. Eu tinha 18 anos e estava namorando, mas nós brigávamos muito, ele tinha um amigo que sempre estava na balada e eu havia percebido que sempre que eu chegava ele ficava nervoso e não parava de olhar para a minha bunda e logo saia. Uma noite eu e meu namorado tivemos uma briga feia em uma danceteria em que sempre íamos e eu resolvi ir embora, mas não havia nenhum táxi e eu furiosa resolvi ir a pé, estava ha alguns metros da danceteria quando ouvi alguém me chamando, era o amigo do meu namorado. Eu parei para ele me alcançar e começamos a conversar, primeiro ele disse que eu devia voltar e ficar com meu namorado, mas eu disse que não. Quando ele se convenceu que eu não voltaria me disse que queria me levar a um lugar, que queria conversar com mais privacidade, eu estava tão chateada que não fiz muitas perguntas e fui o acompanhando. Andamos um pouco e chegamos em frente a uma casa em construção e ele foi entrando, eu parei e perguntei o que estávamos fazendo ali, ele insistiu que era só para ninguém nos ver conversando e sair fazendo fofoca, então eu entrei. Quando chegamos lá dentro ele disse que esperava aquela oportunidade ha muito tempo, eu perguntei do que ele estava falando e ele perguntou se eu nunca tinha percebido que ele sempre tinha que sair quando eu chegava, eu disse que sim e ele disse que saia para ir bater uma punheta pensando em mim. Eu comecei a falar que eu era namorada do amigo dele, mas ele me interrompeu dizendo que eles sempre falavam de mim e que sabia que meu namorado só fazia papai e mamãe e que ele tinha uma vontade louca de comer o meu cu. Eu fiquei assustada, tentei falar alguma coisa, mas ele não parava de falar, dizia que sonhava com a minha bunda que já tinha imaginado várias vezes o pau dele no meu cu. Eu disse que eu não poderia trair meu namorado e ele disse que eu não estaria traindo, porque eu não ia dar nada do meu namorado porque ele só comia a minha buceta e ele estava querendo o cu. Na verdade aquela conversa já estava me deixando excitada, aquele lugar escuro, ele me pedindo para dar o rabo, eu sempre sentia falta de algo mais quando dava para o meu namorado. Comecei a falar alguma coisa para dizer que não podia, quando ele abriu a calça de repente e colocou o pau para fora, quando eu vi aquilo fiquei louca, era enorme, grosso, duro. Ele começou a acariciar dizendo: olha como eu fico quando olho para o teu rabo, deixa eu meter nele. Chegou perto de mim, pegou minha mão e colocou nele, eu senti aquilo duro e quente se mexendo na minha mão, ele estava me obrigando a bater uma punheta para ele enquanto suplicava no meu ouvido, eu tentei o máximo que pude negar, mas não aguentei e disse sim. Nesse momento ele ficou louco, me pegou pela cintura me fazendo girar e ficar de costas para ele, me jogou em cima de uns sacos de cimento empilhados, levantou a minha mini saia e colocou a minha calcinha de lado, ajoelhou e começou a chupar o meu cuzinho. Que sensação maravilhosa sentir aquela língua no meu cu, pra cima, pra baixo, para um lado e para o outro. De repente ele tirou a minha calcinha e me fez abrir as pernas e continuou a me lamber, ficou de pé e começou a enfiar o dedo no meu cu. Eu adorei a sensação e comecei a rebolar, então ele começou a passar o pau no meu rego enquanto acariciava a minha bunda, então molhou a mão com saliva e passou no meu cu e disse: empina. Eu empinei a bunda e senti ele encostando a cabeça do pau, senti ele forçando para entrar, então ele disse: vai empurrando o rabo para trás enquanto eu enfio. Eu fui fazendo o que ele mandou e fui sentindo ele entrar, a sensação era maravilhosa, aquela rola enorme rasgando o meu cu cada vez mais fundo, eu comecei a gemer e ele disse: eu sabia que ia gostar, eu olhava para essa bunda e pensava, essa puta deve gostar de um pau no cu. Então quando faltavam poucos centímetros para aquela maravilha entrar toda no meu cu ele deu uma estocada forte que me fez gritar de dor e prazer, então ele disse, agora vai começar a ação de verdade, me segurou pela cintura e começou a bombear com força, eu sentia aquilo duro rasgando o meu cuzinho virgem e gritava, ele dizia: não faz barulho sua puta, vai chamar a atenção de alguém e eu não quero gozar ainda, esperei muito por isso, quero aproveitar o máximo. Me pegou pelos cabelos e aumentou o ritmo, ele estava enlouquecido dizendo: ah, como eu sonhei com isso, como eu desejei comer esse cu, eu sabia que um dia ele ia ser meu. Então ele me fez ficar de quatro no chão, eu coloquei a cabeça no chão e fiquei com a bunda bem empinada, ele subiu em cima de mim e começou a enfiar com mais força, dava tapas na minha bunda e mandava eu rebolar: rebola sua cadela, rebola com o meu pau no teu cu. Eu sabia que vc ia ser a minha cadelinha. Eu rebolava e ele enfiava cada vez mais forte, até que ele disse: vou gozar, vadia. Vou encher o teu cu com a minha porra. Então eu senti o pau dele explodindo dentro de mim, a porra quente me inundando, ele soltou um gemido forte como se fosse o urro de um animal. Então ele tirou e ,deu um tapa forte na bunda e disse: levanta vagabunda, veste a calcinha e vai embora agora. Adorei comer o teu cu, se tiver a fim, outro dia como a tua buceta. Disse isso e enfiou o dedo nela e deu uma mexida lá dentro. Eu me arrumei e fui embora e é claro que voltamos a nos encontrar, mas isso fica para o próximo conto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário